Terça, 29 de Setembro de 2020 11:01
(82)99621-8631
Geral Maceió

Novos estudos apontam que mais 800 imóveis terão que ser desocupados pela Braskem

Bairros atingidos por extração de sal-gema já têm mais de 7 mil moradias abandonadas por conta do afundamento do solo

16/09/2020 11h01 Atualizada há 2 semanas
Por: Redação Fonte: Tribuna Hoje
Foto: Pei Fon/ Secom Maceió
Foto: Pei Fon/ Secom Maceió

Mais 800 imóveis deverão ser desocupados devido à instabilidade de solo nos bairros do Pinheiro, Bebedouro, Mutange e Bom Parto. Com estes, o número de moradias desocupadas passa de 7 mil. As áreas que deverão ser afetadas ainda não foram divulgadas pela Braskem S/A. O anúncio foi feito pela petroquímica na terça-feira (15) e um novo mapa das áreas afetadas está sendo elaborado.

Segundo a Braskem, a conclusão de três estudos apontou a necessidade da ampliação de realocação. Ainda de acordo com a petroquímica, mais R$ 300 milhões serão destinados para “medidas de apoio”.

“A Braskem recebeu a conclusão dos três estudos técnicos feitos por instituições internacionais especializadas e independentes. Com base nos potenciais impactos de curto prazo apontados nesses estudos, foi identificada uma área adicional de desocupação estimada em 800 imóveis, o que poderá implicar em gastos estimados de aproximadamente R$ 300 milhões com medidas de apoio. O mapa desta área está em detalhamento junto às autoridades competentes e será divulgado o mais breve possível”, disse a empresa em comunicado.

Conforme documentos obtidos, um dos estudos, produzido pelo Serviço Geológico Francês (BRGM) o fenômeno ainda não foi compreendido em totalidade e reforça a necessidade de acompanhamento, mesmo com o monitoramento da subsidência que vem sendo executado na região. Os especialistas concluíram que a temperatura das cavernas também precisa ser monitorada porque também pode representar um risco. O documento é intitulado “Parecer de especialistas sobre a possibilidade de formação de crateras no Campo de Salmoura de Maceió Relatório Final” com data de janeiro deste ano.

Nenhum comentário
500 caracteres restantes.
Comentar
Mostrar mais comentários
* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.