Domingo, 13 de Junho de 2021 02:55
(82)99621-8631
Política Política

Às vésperas de visita a Alagoas, Bolsonaro insinua desvio de recursos e Renan Filho rebate

Durante a transmissão ao vivo, Bolsonaro afirmou que um senador teria mencionado, na CPI que corre no Senado, que as frases ditas por ele durante a pandemia de Covid-19 influenciaram no número de mortes

07/05/2021 14h15
Por: Redação
Reprodução
Reprodução

Uma semana antes de uma viagem prevista para Alagoas, uma provocação do presidente Jair Bolsonaro em sua habitual live semanal, realizada na noite dessa quinta-feira, 06, fez algumas falas, mesmo sem citar nomes, recaírem sobre o governo de Alagoas, o que deve azedar a relação do presidente com o Executivo alagoano e piorar ainda mais o clima com a CPI da Pandemia, cujo relator é Renan Calheiros, pai de Renan Filho. Nos bastidores já se dá a vinda para Maceió - que já foi adiada uma vez - como cancelada, mas oficialmente o Palácio do Planalto ainda não se manifestou.

Durante a transmissão ao vivo, Bolsonaro afirmou que um senador teria mencionado, na CPI que corre no Senado, que as frases ditas por ele durante a pandemia de Covid-19 influenciaram no número de mortes. 

“Eu queria estar na CPI. ‘Atenção aí ministro, qual dessas frases mais matou gente no Brasil, frase do presidente Jair Bolsonaro’ e botou várias frases lá. Sabe qual seria a minha resposta? Prezado senador,  frase não mata ninguém. O que mata é desvio de recurso público que o seu estado desviou. Então vamos investigar o seu filho que a gente resolve esse problema, desvio mata, frase não mata. Parabenizo os senadores que têm feito um lado excepcional, não é do meu lado não, é o lado da verdade”.  

Hoje, em entrevista à GloboNews, o governador de Alagoas, Renan Filho (MDB), filho do senador e relator da CPI, Renan Calheiros, rebateu o presidente, dizendo que 'Quem ouve pouco, erra sozinho'."Na hora de salvar vidas e respeitar o que é recomendado, o Governo se equivocou. O Bolsonaro ouve muito pouco, e quem ouve muito pouco erra sozinho. O Governo Federal muitas vezes age de forma errada. Quando ele me ligou, ele disse que não era o melhor momento para a CPI, na ocasião eu concordei, mas confesso que acho que quem tem que dizer se é o melhor momento ou não é o Congresso Nacional. Mas me coloquei à disposição para dialogar e encontrar caminhos para o país, pois acredito que a CPI pode nos ajudar a encontrar caminhos para o combate à pandemia. Na ligação, ele disse que estava com saudade das nossas peladas, e depois tem esse posicionamento equivocado", contra-atacou Renan Filho, classificando o posicionamento de Bolsonaro como uma retaliação à Comissão do Senado.

"O que isso parece é que essa investigação seria uma retaliação à CPI, investigar um governador que é filho do relator da CPI... Vale lembrar que Alagoas não tem nenhuma investigação em curso. Mas o presidente Jair Bolsonaro sempre falou muito pouco sobre as investigações dos seus próprios filhos, que no caso estão em curso", disse o governador de Alagoas.

Renan Calheiros também rebateu Bolsonaro, afirmando que a CPI irá investigar todo, sem exceções, serão investigados pela CPI. "Eu queria com a permissão dos senhores dizer, com todo respeito ao presidente, que o que mata é a pandemia pela inação e inépcia que eu torço que não seja dele, porque nós não queremos fulanizar isso aqui. Com relação ao estado de Alagoas, ele não gaste o seu tempo ociosamente como tem gasto o seu tempo, enquanto brasileiros continuam morrendo. Aqui nessa CPI, se houver necessidade, todos sem exceção serão investigados", disse Calheiros.

Nenhum comentário
500 caracteres restantes.
Comentar
Mostrar mais comentários
* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.