Domingo, 25 de Julho de 2021 08:36
(82)99621-8631
Geral Saúde

Sesau alerta: 14% dos idosos ainda não tomaram a 2ª dose da vacina e correm risco de maior contágio

E mesmo fora de prazo, os pesquisadores defendem que os retardatários não deixem de buscar a dose de reforço

20/07/2021 16h20
Por: Redação Fonte: Agência Alagoas
Foto: Reprodução/Agência Alagoas
Foto: Reprodução/Agência Alagoas

Enquanto a maior parte dos alagoanos aguarda chegar a data no calendário para a aplicação da 2ª dose, a Superintendência em Vigilância de Saúde da Sesau constatou uma incidência preocupante de 14% de retardatários na faixa etária acima dos 80 anos. Uma evasão que preocupa as autoridades sanitárias.  “Somente com a segunda dose é que estamos com o esquema completo e que se espera imunidade por parte do organismo”, aponta Herbert Charles Barros, superintendente de Vigilância em Saúde da Sesau.

E mesmo fora de prazo, os pesquisadores defendem que os retardatários não deixem de buscar a dose de reforço. É a partir da segunda aplicação que ocorrem o aumento e a prolongação da eficácia vacinal. Apenas com a primeira dose, os riscos de contaminação aumentam.

Em Alagoas, mais de 1 milhão e 600 mil doses da vacina contra a Covid-19 já foram aplicadas. Até o último domingo (18), 1.175.998 pessoas receberam a primeira – além de outros 47.626 que tomaram a dose única da Janssen. Com isso, 35,08% da população obteve algum tipo de imunização. Destes, 414.844 (13,8%) tomaram a segunda dose, uma vez que as vacinas Pfizer, AstraZeneca e Coronavac requerem aplicação complementar para conclusão do ciclo de imunização (com intervalo de três meses para Pfizer e AstraZeneca e entre 14 e 28 dias para Coronavac).

Por meio da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), o Governo Federal publicou artigo no último dia 13 de julho, alertando que quem não completa o esquema vacinal fica mais vulnerável à infecção pelo novo coronavírus do que quem recebeu as duas doses.  “Além de se expor ao risco de ser contaminado e adoecer, esse indivíduo não ajuda a controlar a circulação do vírus. E tem mais: a vacinação incompleta pode criar um ambiente propício para o surgimento de versões ainda mais resistentes do coronavírus”, diz o comunicado.

Os imunizantes continuam a chegar em Alagoas.  Nesta terça-feira (20), foram enviadasmais de 137 mil doses de Pfizer, AstraZeneca e Coronavac para Alagoas, que imediatamente são disponibilizadas pelo Governo do Estado para os 102 municípios alagoanos. Portanto, não há desculpas para evitar a proteção.

Se antes ficar em casa era por você e pelo outro, agora, estender o braço para a vacina também é. As quedas sucessivas na taxa de ocupação de leitos de UTI em Alagoas – 54% na última segunda-feira (19) – comprovam a eficácia da imunização. Dados da Secretaria de Estado da Saúde (Sesau) registram redução de 42% nas internações de pacientes acima de 60 anos entre os meses de março e junho. Diante da constatação, o Governo do Estado reforça o apelo: vacine-se! E tome a segunda dose.

Para vencer a Covid-19, a conta tem que fechar. “A gente precisa levar todo mundo para a vacinação”, convocou o governador Renan Filho, em evento oficial realizado na última semana.  “Vacina boa é vacina no braço. Vacina boa é aquela que a pessoa toma na hora certa, antes de adoecer. Vacina boa é a que salva vidas”, considerou o chefe do Executivo estadual, em mais um pedido para que todos os alagoanos procurem se imunizar quando a hora chegar.

O novo mantra da pandemia é a tecla a ser batida repetidamente, em especial no momento em que a Campanha de Vacinação avança e Alagoas se destaca nacionalmente como um dos três estados do país que mais aplicou os imunizantes recebidos e distribuídos com os municípios.

Nenhum comentário
500 caracteres restantes.
Comentar
Mostrar mais comentários
* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.